Sobre

O programa de extensão Sujeitos de suas histórias existe desde 2015 e está ligado ao curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto. A iniciativa situa comunidades de Mariana – moradores da cidade e sujeitos atingidos, direta ou indiretamente, pelo rompimento da barragem de Fundão – como cidadãos, protagonistas nos processos de leitura, crítica, produção e circulação de narrativas – verbo-visuais, audiovisuais, sonoras, informativas, educativas, lúdicas.

Narrativas que desvelam e resgatam cotidianos, histórias, pertencimento, cidadania, memórias de lugares, pessoas, afetos, em busca de captar e construir identidades, demarcar direitos e erigir imaginários, bem como desconstruir preconceitos e propor imaginários alternativos. Narrativas que propõem alternativas de representação, comunicação e jornalismo. São ações ligadas ao jornalismo cívico, a narrativas orais, sonoras e verbo-visuais e à comunicação enquanto direito humano, prática social e dimensão fundamental da vida. Algumas ações do programa concentram sua atenção em crianças e adolescentes, entendendo-os como sujeitos autônomos e fundamentais da comunicação e, ao mesmo tempo, sujeitos suscetíveis aos discursos midiáticos “mainstream”.

Portanto, trabalha junto a esses sujeitos também – e constantemente – com literacias das mídias, para oferecer ainda essa dimensão crítica de atuação e consumo midiático. São ações, ademais, cuja importância é patente diante das situações cotidianas em que as hierarquias de gênero se manifestam em violência e ódio; em que as infâncias são cada vez mais caladas e desrespeitadas, agredidas; em que os atingidos pelo colapso de Fundão vivem a iminência de serem reassentados e poderem recomeçar as histórias de vida interrompidas em 2015; em que a cidade de Mariana enfrenta um segundo colapso, urbano, de serviços, devido ao rompimento da barragem.

Em 2020, o programa conta com seis ações extensionistas vinculadas, coordenadas pelos professores André Luís Carvalho, Karina Gomes Barbosa e Helena Miranda Mollo e pela técnica em educação Luana Viana. Durante o período de isolamento social, o programa de extensão tem realizado uma série de ações, como a coleta e publicação de testemunhos de crianças sobre o período de isolamento social, divulgação das temporadas do Curiá, além de atividades internas como planejamento de oficinas e produção de materiais educativos.

Em 2018 o projeto recebeu o convite da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) Ufop para ser institucionalizado pela universidade. A ação extensionista de promoção da diversidade Ariadnes, vinculada à Pró-Reitoria de Ações Comunitárias (Prace), em vigor entre 2018 e 2019, também é ligada ao programa.

Em 2017 o programa contou com cinco ações extensionistas vinculadas, coordenadas pelos professores André Luís Carvalho e Karina Gomes Barbosa e pela técnica em educação Monique Ferreira Campos, com a colaboração das professoras Marta Regina Maia e Michele Tavares.

Em 2016, o programa foi composto por quatro projetos coordenados pelos professores André Luís Carvalho e Karina Gomes Barbosa.

Em 2015, os cinco projetos de extensão promoveram oficinas e mergulhos sobre identidades e leitura crítica da mídia nos bairros Cabanas, Santo Antônio, São Gonçalo e Centro Histórico, além do CRIA. Confira o resultado no site.


Já passaram pelo programa: Aleone Higidio, Ana Carolina Vieira, Ana Clara de Oliveira, Ana Miranda, Andrezza Lima, Carolina Carli, Catarina Barbosa, Clara Lemos, Débora Mendes, Fanny Souza, Felipe Cunha, Georgyanne Sena, Giovanna de Guzzi, Hariane Alves, Helen Aquino, Igor Oliveira, Inaê Martins, Jean Lourenço, João de Belli, Júlia Militão, Karine Oliveira, Lara Cúrcio, Larissa Chaves, Larissa Pinto, Larissa Venâncio, Lethícia Bueno, Lethícia Souza, Letícia Conde, Luana Maciel, Luísa Campos, Maic Costa, Márcio Gomes, Mariana Botão, Marília Ferreira, Marina Morgan, Matheus Santiago, Pedro Meneghetti, Priscila Santos, Sabrina Micaella, Suzane Pinheiro, Thatiana Freitas, Yasmin Winter, Yasmine Feital.