“Os investimentos em lazer estão sendo pontuais por causa da situação da cidade”

A quadra da Vila Maquiné é uma das tantas em Mariana que precisa de reparos. Foto: Fanny Souza

O projeto Observatório da Cidade passou 2018 investigando as condições de lazer em Mariana. Em novembro, entrevistamos o secretário de Obras e Planejamento do município, Fábio Vieira. Na conversa, ele reconhece que neste momento o lazer não é uma prioridade da Prefeitura e comenta a perda de receitas que a cidade enfrenta.

OC – A obra da pista de skate será concluída em março de 2019 como foi divulgado no site da Prefeitura?

FV – A pista já está sendo construída com o dinheiro da multa da Samarco, e ficará em R$ 336 mil. O contrato já está pronto, a marcação da obra já está pronta.

 

OC – Após a demolição do ginásio, onde atualmente é o Centro de Convenções, apenas o poliesportivo foi construído. Inicialmente o local seria abrigo de várias quadras, piscinas e pista de atletismo. O projeto de construção de tais equipamentos esportivos foi cancelado?

FV – Existe uma negociação com a Fundação Renova de um projeto chamado Paralelo Rio Doce. Estamos tentando colocar essa obra junto com o projeto para que ela seja executada. A piscina não será feita por questões de infraestrutura, mas o resto, sim.

O projeto Paralelo Rio Doce abarcará obras em Mariana e em todas as cidades que foram atingidas pelo desastre. Serão feitos investimentos em obras de melhorias no urbanismo das cidades. O processo está em negociação.

 

OC – Qual orçamento do governo para atuação em projetos e realização de obras e reformas dos locais de lazer e esporte?

FV – A prefeitura possuía, antes do acidente da Samarco, R$ 35 milhões em média de receita mensal. Agora tem R$ 14 milhões. Foi uma redução brusca. A realidade da prefeitura é que ela tem R$ 11 milhões de folha e já está estourando o limite. Deve fazer mais uma redução.

A prefeitura gasta R$ 1,2 milhão por mês com o Saae, que não é tributado, e mais R$ 1,2 milhão com a Câmara. Então a despesa fixa é de R$ 3,6 milhões. Outros R$ 600 mil são gastos…

A prioridade da prefeitura é com a saúde e com a educação, então a Secretaria de Obras não tem muita receita para gastar, é gasto o mínimo possível para manter a cidade. Então para investimento em áreas de lazer não há uma política específica.

Os investimentos em lazer estão sendo pontuais por causa da situação da cidade. Algumas quadras estão sendo reformadas para manter o que já foi feito. Além disso a Prefeitura promove diversos eventos esportivos de mountain bike, corrida… Não estamos parados em relação ao lazer, acontece que a prioridade do município no momento é outra.

Entrevista: Helen Aquino. Foto: Fanny Souza

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s